Equipa e Contactos

 

info@ficlo.pt
press@ficlo.pt

Equipa

  • Organização: Cineclube de Tavira
  • Direcção Artística & Programação: Candela Varas & Débora Pinho Mateus
  • Produção: José Avelino Pinto
  • Gestão de cópias: Adriano Smaldone
  • Legendagem dos Filmes: Cláudia Brito, Diogo Grácio, Lara Kahrel, Margarida Silva Dias, Sara David Lopes (Coordenação), Adriano Smaldone
  • Comunicação: Sara Cunha, Diana Reis
  • Tradução: Miguel Figueiredo, Daniel Reifferscheid, Sara David Lopes, Melinda Eltenton
  • Sponsoring: Catarina Homem De Sá, Maré Martinez
  • Filmagens & Spot Festival: Luísa Homem
  • Projecção No Progresso Olhanense | República 14: Nelson Simplício, Diogo Braga, Inês Afonso
  • Entrevistas: Miguel Dinis De Oliveira
  • Design Gráfico: Barbara Says…

Agradecimentos: Abel Ramos, Alexis Díaz Pimienta, Ana Isabel Soares, Bruno Mendes da Silva, Bruno Silva, Carlos Campaniço, Carlos Natálio, Diogo Braga, Emiliano Aiello, Flor Georges-Picot, Graça Lobo, Inês Afonso, Isa Catarina Mateus, Isidoro Gago, Javier Tolentino, João Viana, José Couto, Lluis Miñarro, Lola Dueñas, Ludovica Andò, Marc Berdet, Marion, Hänsel, Massimo Canevacci, Mirian Tavares, Paulo Abelho, Rosa Maria Martelo, Ruth Pérez de Anucita, Yasmina Tippenhauer.

Especial agradecimento para Marion Hänsel

Júri

Júri Competição Internacional

  • Ana Isabel Soares
    Ana Isabel Soares é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – Português/Inglês (FLUL, 1993) e doutorada em Teoria da Literatura pela mesma faculdade (2003), onde completou pós-doutoramento sobre cinema português e poesia (2009). Ensina na Universidade do Algarve desde 1996, tendo já leccionado cursos em várias outras universidades, nacionais e internacionais. Integrou a equipa de fundadores da AIM-Associação de Investigadores da Imagem em Movimento, de que foi a primeira presidente (2010-2014). Faz investigação científica em estudos literários e fílmicos, bem como em poesia. Tem ensaios em publicações nacionais e internacionais. Com Merja de Mattos-Parreira, traduziu para língua portuguesa a epopeia finlandesa Kalevala (Dom Quixote, 2013). É membro do CIAC-Centro de Investigação em Artes e Comunicação (Universidade do Algarve).

  • João Viana
    João Viana é um realizador luso-angolano cujos filmes foram premiados ou seleccionados nos Festivais de Berlim, Toronto, Veneza e Cannes. É conhecido por realizar sempre uma curta com uma longa-metragem. Esteve na Cinefondation de Cannes (2015), Project 189 Banguecoque (2019) e foi duplamente premiado na prestigiada Daad-artist-in-residence-Berlin-program (2013/2018). Financiado pela Daad com fundos do Federal Foreign Office está a desenvolver o seu próximo par de filmes: Kwanza Norte e Kwanza Sul na Cité des Arts, em Paris (2020). Foi o Produtor Português, escolhido pelo ICA, no EFP- Producers on the Move de Cannes (2019) e é o Secretário Geral da APCA- Associação Portuguesa de Cinema e Audiovisual. Filmografia: A Piscina (Corto Cortissimo, Veneza 2004), Alfama (Clermond-Ferrand 2009), Tabatô (Melhor Filme - Daad Award Berlinale 2013), A Batalha de Tabatô (Menção Especial do Júri - Melhor Primeiro Filme Berlinale 2013), Madness (Berlinale Shorts 2018), Our Madness (Cinefondation Cannes / Berlinale 2018)

  • Carlos Natálio
    Carlos Natálio (Lisboa, 1980) é licenciado em Direito e Cinema, Mestre e Doutor em Ciências da Comunicação com teses sobre Cinema Contemporâneo e Educação para o Cinema e crítico de cinema e co-editor no website À pala de Walsh, do qual foi co-criador. É programador de cinema do Festival IndieLisboa. Colabora com a associação Os Filhos de Lumière na redacção de diversos materiais sobre cinema, pedagogia e análise fílmica. Escreveu em 2016/7, no âmbito do projecto CinEd - European Cinema Education for Youth, os cadernos pedagógicos dedicados a O Sangue (1989), de Pedro Costa e Aniki-Bóbó (1942), de Manoel de Oliveira. Em 2017, co-editou o livro “O Cinema Não Morreu: Crítica e Cinefilia À pala de Walsh”.

  • Ruth Pérez de Anucita
    Directora de Comunicação, membro do Comité de Gestão e membro do Comité de Selecção no Festival de Cinema de San Sebastián, Ruth Pérez de Anucita é formada em Jornalismo pela Universidade de Navarra (Espanha). Trabalhou mais de dez anos como jornalista, nomeadamente nas publicações El Mundo, Deia, Diario de Noticias de Álava e Noticias de Gipuzkoa, onde, como chefe da secção de Cultura, foi responsável ao longo de sete anos pela cobertura do Festival de San Sebastián. Também trabalhou no departamento editorial diário do Festival. Até formar parte da equipa do Festival, tinha sido assistente de direcção do programa cultural, San Sebastián, Capital Europeia da Cultura 2016. Escreveu o guião da peça para o 50º aniversário da livraria “Lagun” e participou na selecção de curtas-metragens “Kimuak”, o programa governamental basco para a promoção e distribuição internacional de curtas-metragens bascas (2018 e 2019).

  • Lluís Miñarro
    Lluís Miñarro, nascido em Barcelona, é um cineasta e produtor rebelde. Realizou Love Me Not (2019), Stella Cadente (2014), e os documentários Blow Horn (2009) e Familystrip (2009). Como produtor, Miñarro participou em 41 longas-metragens altamente originais, que foram exibidas nos mais prestigiados festivais de cinema internacionais, em museus como Moma ou Tate, e em arquivos de filmes, ganhando mais de 120 prémios. Entre os cineastas com quem trabalhou, encontramos nomes como Manoel de Oliveira, Albert Serra, Naomi Kawase, José Luis Guerín ou Lisandro Alonso. Em 2010, sua co-produção Uncle Boonmee Who Can Recall His Past Lives, realizado por Apichatpong Weerasethakul, recebeu a Palma de Ouro em Cannes. Miñarro também integrou o júri em vários festivais de cinema, incluindo Locarno, Karlovy Vary, San Sebastián, Nara, Buenos Aires, Mar del Plata, ou Munique. Foi distinguido com o “Barcelona City Award” pelo seu compromisso com as artes. Retrospectivas da sua obra foram apresentadas em Paris, Madrid, Barcelona, Valência, Tanger, Pequim, Cali, Montevidéu e Fortaleza.

Júri CIAC

  • Pere Ferré
    Sempre foi aficionado às artes, em qualquer forma que ela se apresente, e acabou por seguir Artes Visuais durante os três anos de ensino secundário. Tendo como objetivo principal prosseguir com os estudos e graduar-se em História da Arte, por vários motivos, acabou por permanecer no Algarve, onde se encontra no segundo ano de Património Cultural e Arqueologia, Ramo de Património.

  • Yudji Oliveira
    Cineasta e artista visual brasileiro. Estudou Cinema na Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo e atualmente mora em Faro. Realizou curta metragens exibidos em diversos festivais de cinema no Brasil e no mundo como: "Conselheiro Crispiniano", documentário político que aborda a ocupação do movimento dos estudantes secundaristas em 2015, o qual foi premiado no Curta Suzano 2018. Em paralelo, desenvolve um estudo em película super8, como os filmes: "A Feira de São Miguel Arcanjo", "Quando o Caminho do Peixe É Uma Escolha", "Hortus Animae" e "Na Véspera de Não Partir Nunca" premiado no Super Off Festival Internacional de Cinema Super8 de São Paulo.

  • Fábio Correia
    Licenciado em Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade do Algarve. Sempre foi apaixonado tanto pela arte cinematográfica como pela literatura. Já participei no FICLO o ano passado, também enquanto membro integrante do júri jovem, experiência que considerou extraordinária permitindo-lhe conversar com algumas das pessoas que fazem do cinema e da literatura a sua vida.

  • Daniela Fernandes
    Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade do Algarve (UALG). De momento encontra-se a tirar um mestrado em Ensino de Inglês para o 1º Ciclo do Ensino Básico, também na UALG. Tem um imenso gosto pelas artes e pelas línguas, adora desenhar, ler, escrever e ir ao cinema.

  • Ana Rostron
    Licenciada em Artes Visuais pela Universidade do Algarve. É artista plástica trabalhando maioritariamente em escultura, co-fundadora da Associação 289 e expõe o seu trabalho regularmente em espaços como a Galeria Valbom e o C.E.C.A.L. Nos últimos anos tem vindo a trabalhar na área do cinema em vários cargos em produções como «My Dad’s Christmas Date» realizado por Mick Davis e «Mister Mayfair» realizador por Philippe Martinez. Colaborou também em contexto de formação como na residência Pandora’s Box liderado por Charles Savage e Sabine Jeleniowski.